REVISTA CAIS DE JULHO E AGOSTO

luismarquesmendes_cais

Luís Marques Mendes é Diretor convidado da edição de julho / agosto da Revista CAIS 


No Editorial, o advogado e comentador político escreve: “Nesta ocasião, quero sobretudo falar de esperança e de ambição. É com esta atitude que vamos vencer. É tempo de deixarmos de nos flagelar com a ideia de que somos um país pequeno e, por isso, condenado ao insucesso. Não é verdade. Na União Europeia somos um país médio, em território e em população. E há países bem mais pequenos do que nós que são excelentes exemplos de sucesso. Basta pensar na Irlanda ou na Dinamarca, duas referências notáveis de desenvolvimento. Pequenez não é sinónimo de fracasso. É tempo de abandonar a ideia de que, pequenos ou médios, somos irrelevantes. Não somos”.   

 

Em 1 Tema, 2 Pontos de Vista, a questão em debate é Imigração: problema ou oportunidade?”. Ana Catarina Mendes e Gonçalo Saraiva Matias dão-nos a sua opinião. 

 

Em Salvar o mundo – Nacional destaque para a Liga portuguesa contra o cancro, uma instituição nacional de apoio aos doentes com cancro e às suas famílias. A sua missão é multifacetada: promover a saúde, prevenir o cancro e fomentar os avanços na investigação e formação em oncologia. 

 

No Salvar o mundo – Internacional falamos da Helpo, cuja atuação vai muito para além da construção de edifícios e do fornecimento de bens de primeira necessidade. A sua abordagem holística contempla as necessidades multifacetadas das crianças e das comunidades. Promove a cidadania global através de projetos artísticos e do diálogo intercultural. 

A Reportagem do mês aborda o problema da Guerra na Ucrânia e coloca uma pergunta incontornável:  que futuro? 

Na Narrativa Fotográfica apresentamos “Experiência de vida”, um portfólio com assinatura do fotojornalista António Cotrim. 

Na Viagem Transformadora, Luís Marques Mendes recorda visitas a Macau, uma delas por ocasião da entrega à China do território que esteve sob administração portuguesa durante 442 anos. O antigo ministro lembra o momento com emoção. 

 

Destaque, ainda, para Cultura de Causas, com a série documental “A Conspiração”. 50 anos após a icónica Revolução dos Cravos a 25 de Abril de 1974 no nosso país, com o povo em júbilo e o antigo regime derrubado, esta série documental surge para revelar mais do que os a esta série vai além dos eventos históricos conhecidos, mergulhando no plano clandestino que possibilitou a revolução. 

 

Não se esqueça! 70% do preço da Revista vai diretamente para o Vendedor.

Saiba onde encontrar os vendedores aqui.

RSS